24 outubro, 2007

Assíria - parte 01



O Império Assírio


Seu nome significa “graciosa”. Este Império é constituído pelos descendentes de Assur (Gn 10.11,22) neto de Noé.


Posição geográfica: Norte da atual Bagdá (capital do atual Iraque), indo até as imediações dos lagos Van e Urmia. Na linha leste-oeste, vai dos montes zagros até o vale do rio Habur.


Uma das cidades e capitais mais importantes do Império Assírio foi Nínive. Era uma das maiores cidades do mundo, situada à margem oriental do Tigre, cerca de seiscentos quilômetros do mar Mediterrâneo. Foi capital da Assíria nos tempos do rei Senaqueribe, entre os anos 705 a 612 a.C.(Gn 10.11,12). A fortaleza media mais ou menos cinqüenta quilômetros de extensão por dezesseis de largura. Havia cinco muralhas e três fossos (canais) que circundavam a cidade. As muralhas tinha trinta metros de altura e permitiam que quatro carros corressem lado a lado sobre elas. No segundo e terceiro milênios (A.C.) Nínive foi conhecida como sendo um centro religioso. A fama dos poderes curativos da estátua da Deusa Ishtar chegou a territórios tão distantes como o Egito.

22 outubro, 2007

Turma - Barra do Piraí


Novos amigos...


No sábado passado (20/10) estivemos ministrando aula na extensão do Instituto de Ensino Teológico em Barra do Piraí.

O tema abordado nas aulas de Geografia Bíblica naquele dia foram os seis impérios do Mundo Antigo, a primeira parte de nosso conteúdo programático.

No próximo mês estaremos falando sobre a Palestina dos tempos bíblicos e por último falaremos sobre as Viagens missionárias do apóstolo Paulo.

Gostaria de agradecer a recepção carinhosa dos irmãos de Barra do Piraí, ao Pb. Paulo, diretor do curso naquela extensão, ao meu amigo Pastor Edgar que tanto me ensinou e até hoje me ensina com seu dinamismo, organização e empreendorismo na obra de Deus, que são as marcas de seu ministério, e, sobretudo a Deus que me tem concedido este privilégio de servi-lo em sua obra na área do ensino.


19 outubro, 2007

Egito - Parte 4



Pirâmide de Queóps - A Grande Pirâmide


Considerada uma das Sete Maravilhas do Mundo Antigo, a Grande Pirâmide, ou também conhecida como a Pirâmide de Queóps, é a única obra que permaneceu viva até nossos dias daquele grupo.

Os egiptólogos acreditam que esta obra tenha sido feita em 30 anos, sendo dez anos destes construindo uma estrada para o transporte dos blocos de pedras extraídos a alguns quilômetros dali. Cerca de 100.000 homens foram empregados para construir esta obra que tinha por objetivo guardar os restos mortais do Faraó Queóps. Para os egípcios o corpo sendo preservado intacto era a garantia da posteridade de sua vida, e para tal, era necessário além de se ter um processo de embalsamento adequado deveria se ter a preocupação quanto ao túmulo onde ali seria preservado o seu corpo. Podemos compará-lo ao seu seguro de vida, ou melhor, pós-vida.

Este monumento de 146,6 m de altura, com 228 metros de cada lado, foi a construção mais alta do mundo até 1889 quando foi construída a Torre Eifel. Foram necessários 2.300.000 (dois milhões e trezentos) blocos de pedras para sua construção. Apenas um bloco de pedra que tinha em média um metro cúbico pesava em torno de apenas 2,5 toneladas! Sem guindastes, sem caminhões munck´s, sem carreta... dá pra imaginar a trabalheira que aqueles escravos tiveram?! E pensar que esta obra foi construída por volta do ano 2.500 anos antes de Cristo.


Observe a figura ao lado e veja os números impressionantes de desta obra.

Outro fator interessante é a estrutura interna desta pirâmide. Ela possui três câmaras mortuárias, são elas:



  • A câmara do Rei, localizada na parte central da pirâmide;

  • A câmara da Rainha, localizada um pouco abaixo da câmara do Rei; e

  • A câmara Secreta, que ficava a cerca de 30 metros abaixo da estrutura da pirâmide.

Veja a planta abaixo dela:




1) Poço;

2) Grande galeria;

3) Passagem descendente;

4) Passagem ascendente.

18 outubro, 2007

Resultado - Sete Maravilhas do Mundo Bíblico

Entre os dias 01 e 17/10/2007 postamos o Concurso da escolha das Sete Maravilhas do Mundo Bíblico e o resultado da votação revelou o seguinte gráfico:



O gráfico acima apontou a classificação das seguintes cidades:

Jerusalém - 29,2%

Ur - 16,7%

Atenas - 12,5%

Roma - 12,5%

Éfeso - 8,3%



Desempate

O resultado também apresentou um empate técnico entre cinco cidades ambas com 4,2%. São elas:

Babilônia

Damasco

Susã

Persépolis

Korsabad

Portanto, estaremos colocando uma enquete com os nomes dessas cinco cidades que concorreram as duas últimas vagas do seleto "G7", o grupo das Sete Maravilhas do Mundo Bíblico. As duas cidades mais votadas serão apresentadas no dia 24/10/2007.

Mais uma vez contamos com sua participação, ou seja, com seu voto.

15 outubro, 2007

O Egito - Parte 3



Rio Nilo

Com cerca de 6.696km de comprimento, o Rio Nilo é considerado atualmente como o maior rio do mundo em extensão, tendo suas nascentes na região dos grandes lagos da África equatorial, por onde se estendem dois braços chamados Nilo Brando e Nilo Azul e seus afluentes.

O Nilo corre na direção sul-norte através do Egito, desaguando no Mediterrâneo, através de um estuário de 250km de largura. As chuvas produzidas pelas nuvens formadas sobre o oceano Índico e levadas pelos ventos sobre as cordilheiras da África Oriental e Equatorial faziam transbordar o Nilo e seus afluentes, levando para o Egito o aluvião fertilizante das vertentes das montanhas. O transbordamento do Nilo nas regiões áridas do Egito e consequente abundância das colheitas, notadamente na região do Delta, era considerado pelos egípcios obra de seus deuses.

Atualmente, apenas 4% do território egípcio são consideradas férteis, estas são banhadas pelo Rio Nilo. Se não fosse as suas águas o Egito seria um deserto inabitável, o Nilo portanto é considerado o coração do Egito sem ele não poderia sobreviver.

A parte navegável vai até a ilha elefantina, antigamente chamada de Yeb, 1145km ao sul do Cairo. Existem mais cinco cataratas que impedem a navegação do alto Nilo. Existiam muitas fortificações ao longo do rio, entre as quais a cidade de Siene (atual Assuã) referida em Ez 29.10. A palavra Sior ou Shiohr, que se encontra em algumas referências também significa Nilo (Js 13.3; I Cr 13.5). Os rios da Etiópia (Is 18.1) são afluentes do Nilo. A primeira referência está em Gn 41.1. Provavelmente foi o rio em que a filha do Faraó tenha encontrado a Moisés em uma arca à borda do rio (Êx 2.1-10).

11 outubro, 2007

Uma justa homenagem

A Turma 16

Há um ditado popular que diz: "Tudo que é bom, dura pouco". É uma verdade. Pude constatar no período em que ministramos as aulas na turma de número 16 do IETEP - Instituto de Ensino Teológico de Petrópolis. Esta turma demonstrou entusiasmo, interação, aplicação e dedicação em todo o decorrer das nossas aulas, deixando-nos um sentimento de "quero mais". Porém temos que ir... a nossa carga horária não nos permite continuar.
Meu muito obrigado pelos momentos em que passamos em sala de aula, no frio, no calor, no cansaço... quero que saibam que sempre foi um prazer ministrar aulas para vocês. É uma pena que na próxima segunda-feira encerra a primeira etapa da Geografia Bíblica, só nos veremos no ano que vem novamente... em sala de aula, claro! Pois continuarei sempre a disposição de vocês no que puder ajudá-los.

Um grande abraço a meus amigos e irmãos da Turma 16!



10 outubro, 2007

Resultado das Sete Maravilhas do Mundo Bíblico





Vota aí!!!!


Infelizmente, não houve votos suficientes para elegermos as Sete Maravilhas do Mundo Bíblico.


Acho que nossos leitores esqueceram de votar... Bom, estaremos dando mais uma oportunidade a você que não registrou seu voto, o resultado final apontou apenas seis cidades, o prazo desta vez se expira na próxima semana, então ... VOTEM!!!!!!

O Egito - Parte 02



A História Egípcia

A pré-história do Império Egípcio é marcada por vários conflitos travados pelos dois reinos que compunham aquele território, chamados de:

  • Alto Egito, localizado ao Sul do território egípcio


  • Baixo Egito, localizado ao norte do território egípcio

Esses dois reinos apesar de terem uma mesma origem eram tão distintos entre si que possuíam características peculiares, tais como:

  • Crenças próprias;


  • Traços culturais próprios;


  • Dialetos próprios;


  • Costumes próprios;


  • Filosofia de vida própria.

Ocorre que estas diferenças tiveram seu fim quando o rei Menés unifica os dois povos, funda a cidade de Mênfis a qual a estabelece como capital dos dois povos. Finda-se portanto os longos anos de batalhas e estabelece a primeira dinastia do Egito. O Egito viveria anos de glória que jamais havia desfrutados em sua toda sua história.

A história do Egito divide-se em três partes:

Antigo Império (3.200 a.C. - 2.300 a.C.)

Médio Império (2.134 a.C. - 1.580 a.C.)

Novo Império (1.580 a.C. - 1.070 a.C. )




09 outubro, 2007

O Egito - Parte 01




O Egito depois da Palestina é a terra mais salientada da Bíblia. A história dos egípcios se entrelaçam em vários momentos com a do povo israelita. Desde a chegada de Abraão ao Egito até quando José e Maria por orientação do Senhor descem para lá o Egito encontra-se´presente como uma nação poderosa e temida.


A nação egípcia dentre todos os legados deixados para a humanidade, destacou-se nas seguintes áreas:

  • aprimoramento da geometria e matemática;


  • a arquitetura;

  • a astronomia e


  • escrita.

O império egípcio encontrava-se no nordeste africano tendo ao norte o Mar Mediterrâneo, donde o Rio Nilo despeja suas águas, ao sul estava a Núbia, hoje conhecida como Sudão, ao leste o deserto do Saara e a Líbia e ao oeste limita-se o mar Vermelho.


No período denominado como Novo Império (1580- 1090 a.C.) através das conquistas através de Akhenaton, também conhecido como Amenófis, o Egito alcançou a maior expansão territorial de sua história, abrangendo a Península do Sinai e toda a palestina.







01 outubro, 2007

Escolha das Sete Maravilhas do Mundo Bíblico



Chegou a hora de escolhermos as sete cidades que farão parte das Sete Maravilhas do Mundo Bíblico, para isto precisamos de sua participação. Basta apenas deixar um comentário com o nome de sete cidades, que no seu conceito, merecem o título de Maravilha do Mundo Bíblico.

Você que não é cadastrado com um blog é só comentar como "anônimo" e aí seu comentário (e voto) será computado.

O prazo para votação encerra-se no dia 07/10/2007.

No mapa acima colocamos a localização geográfica das doze cidades candidatas. Segue abaixo a listagem das candidatas:

1) Atenas


2) Éfeso


3) Ur


4) Nínive


5) Babilônia


6) Jerusalém


7) Tebas


8) Damasco


9) Susã


10) Persépolis


11) Korsabad


12) Roma


E aí, quais são as suas indicadas??? É só responder na enquete ao lado!!!! Vote já!!!

Maravilhas do Mundo Bíblico IV

11) Khorsabad

A poucos quilômetros ao Norte de Nínive, com as montanhas do Curdistão ao fundo, Sargão II ergueu no final de seu reinado como capital imperial de sua a residência de Dur Sharrukin (Fortaleza de Sargão), hoje Khorsabad, que ocupava uma extensão de 1.760 x 1.685 metros, cercada por uma potente muralha e sete portas de entrada. Em seu setor norte edificou uma cidadela sobre a que levantou seu palácio real, junto a um templo de Nabu e outro dedicado aos diferentes deuses. O reino de Israel foi conquistada no primeiro ano do reinado de Sargão II, cerca de 27.000 israelitas foram deportados (II Rs 17.6, 24-30; 18.11).

O palácio real se elevava sobre uma plataforma de entre 14 e 18 metros e continha um Zigurate e um grandioso templo com seis santuários, além de um completo conjunto de pátios, salões e armazéns.

Fonte: http://www.artehistoria.jcyl.es/histesp/obras/17593.htm


11) Roma

Cidade das mais antigas da península itálica, edificada sobre sete colinas, na margem esquerda do Rio Tibre, a 24 km da desembocadura deste no Mar Tirreno, na costa ocidental da Península. A data de sua fundação é 753 a.C. Famosa por te sido a capital política e cultural do mundo por vários séculos. Ao tempo do apóstolo Paulo, a "cidade eterna" como é chamada, já possuia mais de um milhão de habitantes. Paulo esteve preso em Roma durante dois anos e dali escreveu quatro epístolas: aos Efésios, aos Filipenses, aos Colossenses e a Filemom.
A história da fundação de Roma baseia-se na lenda em que duas crianças, Rômulo e Remo, tendo sidas abandonadas em uma floresta são amamentados por uma loba e milagrosamente conseguem sobreviver, estas crianças crescem e então fundam a cidade de Roma.

O Coliseu, também conhecido como Anfiteatro Flaviano, deve seu nome à expressão do latim Coliseum, devido ao colosso de Nero, que ficava perto a edifícação.

Sua construção tem início por ordem do imperador Vespasiano, no ano 70 da nossa Era, e somente é finalizada pelo seu filho, Domiciano. Porém o edifício é inaugurado oficialmente por Tito, em 80, embora as obras seriam findadas poucos anos depois.
Localizado no centro de Roma, é uma exceção de entre os anfiteatros pelo seu volume e relevo arquitetônico. Originalmente capaz de albergar perto de 50.000 pessoas e com 48 metros de altura, era usado para variados espetáculos.