Assíria - Parte 02


A Crueldade Assíria


Ao lermos o livro do profeta Jonas, quando Deus ordena-o que fosse transmitida uma dura mensagem aos ninivitas e ele não o faz (pelo menos de imediato), muitas vezes ouvimos pregações e até mesmo pregamos sobre a "covardia" e "desobediência" de Jonas em não levar àquela mensagem.

De fato, ele não cumpriu o mandato do Senhor, antes preferiu ir para Társis, um balneário próspero, localizado onde hoje está a cidade de Sevilla, na Espanha, a direção contrária do local onde Deus o havia ordenado. Mas ao estudarmos sobre a crueldade do povo assírio entendemos um pouquinho do temor de Jonas em levar a mensagem àquela nação.

Os assírios eram um povo militar e comercial, simples em costumes porém cruéis e ferozes com seus prisioneiros queimando-os vivos os seus conquistados após uma sessão de mutilação.

Cortavam-lhe as mãos, pés, orelhas, faziam pirâmides de caveiras (crânios). Um certo rei Assírio, em uma de suas batalhas, levou a cativo 14 mil homens como prisioneiros de guerra, por medida de precaução, para que não houvesse revoltas, deu ordem ao seu exército que vazassem os olhos de todos os presos.
Existe o relato de um rei que quando estava cercado pelos exércitos assírios, resolveu fazer um acordo com o monarca assírio tentando preservar a vida de seus súditos, o trato consistia de que ele se renderia desde não houvesse derramamento de sangue, ok! O acordo foi cumprido por ambas as partes. Os assíros conquistaram o território do inimigo.

E o inimigo... foi enterrado vivo!

Comentários

Daladier Lima disse…
A explicação para a recusa de Jonas é a xenofobia e a retenção da mensagem da verdade, como ainda hoje acontece com os judeus em geral. Isso é o que mostra o capítulo 4: "Não é isso o que eu dizia..."
Que Deus continue te usa
ndo cada vez mais parabens pelas suas postagens!!!!
Abs!
Faculdade Teológica
Que Deus continue te usa
ndo cada vez mais parabens pelas suas postagens!!!!
Abs!
Faculdade Teológica
Anónimo disse…
Muito boas as informações disponibilizadas neste site, obrigada. Serviram-me bastante! parabéns.
Ronaldo Fagundes. rgm 323.607 disse…
se eu tivesse no papel de jonas faria o mesmo, a final o ensinamento que eu teria assimilado era do olho-por-olho dente por dente, ainda mais tambem seria um nacionalista como Jona, e quebtão de crueldade desse povo tambem entraria na lista. hoje com um dos resultado da vida nova em Cristo é amar até as pessoas que não gostamos; ainda bem pois, há pessoas que tambem não gostam de nós,
Anónimo disse…
Mto obrigada,esse texto m ajudou mto no meu trabalho!Vcs estão de parabéns!!!
Bjo
Eber Ventura disse…
Ronaldo,
gostei da sua sinceridade, realmente tinha que ter peito para enfrentar os assírios ainda mais com uma palavra dura para eles. Foi realmente muito difícil para Jonas e com certeza para nós seria de igual forma.

sds
Eber
Eber Ventura disse…
Daladier,
perfeito seu comentário, de fato envolveu muito mais do que o medo em si, havia um preconceito muito grande com a nação assíria e de fato até hoje de modo geral a xenofobia ainda existe no meio judeu.
sds
Eber

Mensagens populares deste blogue

Viagens de Abraão

Trôade

Rio Jordão